OEsquema

Vou por um som #2

Segunda session do blog, com uma novidade. Você pode ouvir todas as faixas de uma vez no player no final do post.

AraabMUZIK – Never Have To Worry

Começamos a segunda sessão com o geniozinho da MPC Araabmuzik. Ele vem com um beat encorpadão, intercalado com synths delicados, naquele groove irresistível e arrastado.

Gramme – Rough News

Gramme – Girls Talk

O Gramme não é exatamente prolífico. São cinco singles lançados desde 1997. Agora, no começo do ano, a banda finalmente soltou seu primeiro álbum, Fascination. É excelente e dá para ouvir inteiro aqui. Como a banda mesmo se define, “lo-fi disco crua”. Para quem gosta de ESG, Au Pairs e Bush Tetras.

Yeah Yeah Yeahs – Sacrilege

Daí tem uma banda que sempre merece atenção, o Yeah Yeah Yeahs, de Karen O. Com batida ultrafunk, linha breakbeat clássico. O final surpreende, uma apoteose gospel, com efeito parecido o que Madonna conseguiu em “Like A Prayer”.

Tornado Wallace – Thinking Allowed

Tem que prestar atenção em alguém chamado Tornado Wallace. O nome faz jus ao figurino, comprove aqui. Mas o que realmente interessa é a qualidade do seu som. Música de droga, no bom sentido. Quando o vocal, que parecia tão iluminado, começa a ficar distorcido e esquisito, abrindo para uma progressão acid, o bicho pega.

Persnickety All Stars – The Final Round

Psychemagik – What A Funky Night (Psychemagik edit)

Edits de clássicos disco tem um lugar garantido no meu coração. Este aqui ganha dois pontos extras: envolve Derrick Carter, já que sai pelo seu selo, e é de uma faixa do Kasso, projeto sensa do italo-brasileiro Claudio Simonetti (membro do influente grupo de prog eletônico Goblin). Disco-sorriso, com um sacode jazzy que é antídoto pra qualquer cara feia.

Ainda na vibe disco editada, essa maravilha do Psychemagik apareceu logo no começo do ano. É um daqueles grooves que grudam na memória enquanto lançam o corpo em direções impensadas. Psychemagik é um dos nomes do momento nesse setor. São dois ingleses viciados em edição e psicodelia. No SoundCloud deles, o local de origem é “The Cosmic Forest, UK”. É bem por aí.

Benoit & Sergio – $100 Bill

E Benoit & Sergio? Estreando no Hot Creations? É mais da combinação de vocais frouxos com grooves gordos, mas é muito bom. Gosto da parte que começa em 1:05.

HNQO feat. BR – We Do It (H.O.S.H. Remix)

O HNQO é um cara de Curitiba chamado Henrique Oliveira. Desconhecido fora da cena eletrônica brasileira, ela está com turnê de 24 datas na Europa e tem lançamentos em selos importantes de fora. Aqui seu último single, remixado pelo alemão H.O.S.H.

Boddika & Joy Orbison – Fate

Aqui a coisa pesa. Também… Boddika e Joy Orbinson. O groove é techno sem firula. Gosto do sample que fala  ”Baby” com uma entonação meio cansada, meio sem fôlego.

Vou por um som #2

 A primeira edição do Vou por um som

1 Comentário
por: camrock postado em: Destaque, MÚSICA ELETRÔNICA, POP, ROCK tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

1 Comentário

Comentário por Carlinhos Kunde
9 de março de 2013 às 22h43

RIP, Ricardo da Force.

Responder

Deixe um comentário