OEsquema

Wikileaks: o maior pesadelo de Brasília

Você é executivo de uma transnacional milionária e tem informações secretas sobre sua companhia que podem afetar o bem-estar da população mundial?

Daniel Dantas
SIM!

Você é um político oprimido, que sabe de todas as mutretas que rolam por trás dos panos, mas não pode falar nada pra ninguém?

Deputado Clodovil Hernandez
SIM, MEU BEM!

Você é um jornalista e apurou um furo bombástico que diz respeito a toda a população, mas corre risco de morte se divulgar o que descobriu?

Carmo Dalla Vecchia - Zé Bob
SIM!

Então, os seus problemas acabaram. Chegou o Wikileaks, um site cuja proposta é que esses grandes detentores de informações sigilosas, mas fundamentais para o interesse público, dêem com a língua nos dentes por lá de forma anônima.

É uma maneira genial de usar internet para veicular informação que é mantida em sigilo. E se a coisa funcionar como os criadores gostariam, poderia ser uma revolução da distribuição de informação secreta.

Aí você pensa o óbvio: que qualquer um pode chegar lá, escrever o que quiser e fingir que é verdade. É, pode. Mas acho que o Wikileaks é uma das últimas provas coletivas de confiança na honestidade do ser humano.

Se essa moda vai pegar por aqui, eu não sei. Sei que as possíveis conseqüências seriam duas:

- O site se torna popular e, minutos depois do estardalhaço inicial, sai do ar misteriosamente, sem deixar vestígios;

- O site se torna popular, os brasileiros descobrem, invadem e começam a publicar informações falsas. Afinal, somos os usuários de internet que passam mais tempo conectados no mundo. Não temos o que fazer. Logo, vandalismo virtual é o que nos resta.

1 Comentário
por: Ana Freitas postado em: Brasil, Política, Tecnologia tags: , , ,

1 Comentário

Comentário por Rodrigo
15 de julho de 2008 às 10h43

Ana, belo texto. Estou comentando para avisar que alguma coisa está errado com o seu feed. Os posts aparecem cheios de caracteres trocados por sinais esquisitos. Vandalismo virtual?

Responder

Deixe um comentário