OEsquema

Sinais gráficos que as pessoas não sabem usar

O fato é que as pessoas não sabem usar aspas. Eu já discuti isso com algumas pessoas porque é um assunto que passa batido pela maioria delas e, quando você encontra alguém que “também” fica “indignado” com quem usa “aspas” pra “enfatizar”, bate um sentimento forte de “identificação” com o “outro” e de “não-estou-sozinho-nesse-mundo”.

Até porque a utilização inadequada de aspas em lugares desnecessários é capaz de gerar estranhos efeitos cômicos. Aspas serve pra duas coisas – destacar um conteúdo que está sendo reproduzido literalmente da boca de outro indivíduo que não o autor do texto ou denotar que a palavra que você está usando, no contexto, não apresenta significado literal.

Cuidado: cão bravo

Isso significa que essas placas que a gente vê direto por aí, nas quais a gente vê aspas como se fosse vírgula, acabam não significando nada. Se o “Cão Bravo” está entre aspas, você parece um idiota escrevendo isso numa placa, porque parece estar reproduzindo algo que alguém disse. E se você colocar aspas só no “Bravo”, vai parecer que 1. ou você foi irônico e seu cão é dócil ou 2. ou “bravo” é seu eufemismo para dizer que seu cachorro é absolutamente sanguinário.

Conclusão: aspas não se aplicam em nenhum dos dois casos.

Ok. Daí alguém – alguém foda, alguém muito esperto – teve a idéia de fazer um blog só sobre placas que usam aspas de maneira indevida. Vi lá no blog do Matias, e fiquei pensando que o Unnecessary Quotes é uma daquelas idéias que eu gostaria de ter tido, como o Coma com os olhos.

Felizmente, essa idéia que eu não tive antes me inspirou a colocar em prática outra que eu já tenho há tempos – um blog com prints e fotos de uso indevido de outro sinal gráfico profundamente injustiçado no uso cotidiano da língua portuguesa, o apóstrofo (cujo endereço ainda não sei qual será, porque “apostrofosdesnecessarios.com” seria o maior FAIL da história das URLs que queriam ser fáceis e diretas*)

O apóstrofo, por definição, já é um sinal gráfico um pouco incompleto. Ele é praticamente uma vírgula de cabeça pra baixo ou, se você preferir, um acento agudo sem letra embaixo, o que é bem triste, se você considerar que ele já é um acento, que é uma função secundária no idioma (pelo menos alguns níveis abaixo das letras na hierarquia alfabética, até onde eu sei)

Mas depois que dar nome de bar com apóstrofo no final virou moda, a coisa degringolou de uma maneira assustadora e o apóstrofo, outrora apenas um sinal gráfico solitário, incompleto e que servia – veja você, que ironia – para substituir qualquer letra faltante em uma palavra (tipo Rock and Roll, que vira Rock’n'roll), como o coringa de um baralho, se alastrou como peste nos nomes de lugares por esse Brasilzão. Ele teve seus momentos de glória, mas durou pouco.

Apesar de muito usado, o apóstrofo sempre foi mal compreendido. Agora estamos rodeados por Bar do Johnny’s e Bar do Zé’s, o que nem é tão condenável, afinal nem João e nem José têm obrigação de usar corretamente o possessivo num idioma estrangeiro. Assustador MESMO é ver professor escrevendo “CD’s” e “DVD’s” na lousa da faculdade, e isso eu já vi várias vezes.

Repita comigo, amigo. Plural em inglês é igual a plural em português – você coloca o “s” e pronto, pode ficar feliz pois terá multiplicado seu substantivo por vários sem nenhuma dificuldade. É quase mágica. O apóstrofo não entra no plural, ele tem outra função. Você NUNCA vai comprar CD’s, nem DVD’s, nem digitar URL’s, muito menos baixar MP3′s, sendo todos eles uma sigla ou não. Você pode até ter AID’s, que com essas coisas não se brinca. Mas tira o apóstrofo. Vai ser muito mais digno.

Eu sei que fica mais bonito, parece estiloso, algo meio “dos EUA”. Mas tá errado. Te garanto’s.

(Se alguém tiver uma idéia “legal” para o nome do blog, por favor, me avise nos “comentário’s”)

89 Comentários
por: Ana Freitas postado em: Brasil, Internet, jornalismo, Literatura tags: , , , , , , , , , , ,

89 Comentários

Comentário por Blog Mallmal
18 de fevereiro de 2009 às 12h07

Apostrofando.
Os doze apóstrofos.
Apocatástrofo.
Catapostrófico.

Responder

Comentário por Porcho
18 de fevereiro de 2009 às 12h56

Estudava numa cidade em que um restaurante alardeava ser o mais “gostoso” da cidade.

Pelo menos era barato!

Responder

Comentário por Rubens
18 de fevereiro de 2009 às 13h03

Vou fazer uma CITAÇÃO

Responder

Comentário por Ivan
18 de fevereiro de 2009 às 13h13

euapostrofo.com.br ficaria legal!!

Responder

Comentário por troxa
25 de junho de 2009 às 22h24

vai tomar no cu

Responder

Comentário por felipe
19 de fevereiro de 2010 às 15h35

é bom?

Responder

Comentário por V.L
23 de janeiro de 2012 às 19h34

Deve ser um idiota qualquer.

Responder

Comentário por Wellington
18 de fevereiro de 2009 às 14h03

Gostei muito do tema proposto, também tô cansado de ver o apóstrofo e as aspas serem massacradas pelo povo, mas isso é só mais um dos tantos absurdos gramaticais que vemos por sí.

Só uma coisa não gostei: o plural de siglas têm apóstrofo, sim.

O plural de “cd” é “cd’s”, de “dvd” é “dvd’s”, não há erro nenhum aí. Isso serve pra diferenciar o plural de outra sigla, que poderia ser “cds”: comissão dos desavivados sociais. =)

Um abraço!

Responder

Comentário por Ana Freitas
18 de fevereiro de 2009 às 14h08

Wellington, bem interessante a informação. To tentando achar uma confirmação oficial disso, porque nunca ouvi falar desse uso, mesmo. À tarde vou fazer uma busca mais precisa, ver se consulto um Pasquale, hehehe. Mas acrescenta bastante. Obrigada :)

Responder

Comentário por Fee. Nizzio
11 de abril de 2010 às 23h28

NÃO. Em siglas sempre é usado somente o S. Não tem essa de “diferenciar o S da sigla”. Siglas são escritas com LETRA MAIUSCULA, o que já é algum começo, já que o S não ficará em letra maiúscula junto. Tambem tem algumas siglas que são escritas com P.O.N.T.I.N.H.O.s entre as letras

Responder

Comentário por Fee. Nizzio
11 de abril de 2010 às 23h41

Tem uma coisa errada nesse post. Você disse que no inglês o plural só adiciona S, o que não é verdade.
Nos casos em que só se adiciona S, o plural é chamado de PLURAL REGULAR/REGULAR PLURAL, e quando se faz mais do que somente somar S na palavra, o plural dela se chama PLURAL IRREGULAR/IRREGULAR PLURAL
Exemplos:
Strawberry (Morango) = Strawberries (troca o Y por IES, já que o Y está precedido de consoante)

Crisis (Sei lá D:) = Crises (troca IS por ES)

Até mesmo casos em que nem se tem S no plural:

Radius = Radii

Nucleus = Nuclei

No portugues também se tem poucas palavras em plurais irregulares.

Atenciosamente, Fee. Nizzo’

Responder

Comentário por Viviane
26 de abril de 2010 às 3h35

Aposto que ela ja¹ sabe disso, mas a inteligencia dela nao permitiu que `desfocasse`(apostrofo util²) o assunto inteiro direcionando o assunto para outro ponto(?)
Ou seja, ela simplificou, nao precisa explicar a gramatica inglesa inteira para contar o fato dela nao gostar do mal uso do apostrofo(!)
(-¹tenho problemas terríveis de diacriticos com meu teclado japones
-²o uso de aspas tambem pode ser util para denotar uma palavra `inventada`- apostrofe util outra vez )

Responder

Comentário por Flavinha
18 de fevereiro de 2009 às 14h07

Estava eu num quarto de hotel de beira de estrada quando me deparei com as seguintes recomendações, entre outras pérolas:

“Para sua ‘segurança’, tranque a porta do quarto” (quer dizer que mesmo trancando alguém pode entrar? é para que eu tenha uma ilusão de segurança?);

“O ‘café da manhã’ será servido de 7h às 9h” (eu sei o porquê dessas aspas: não dá para chamar aquilo que eu comi de café da manhã nem aqui nem na China).

Triste!

Responder

Comentário por Ana Freitas
18 de fevereiro de 2009 às 14h09

HAHAHAHAHAHAHA
é “foda”, flavinha. mas a gente tem que “aguentar”, né?
“beijo”!

Responder

Comentário por Fã nº 1
18 de fevereiro de 2009 às 14h14

apostrofável….

Responder

Comentário por Gabs
18 de fevereiro de 2009 às 14h23

Cara, concordo contigo…
Mas sempre tive a dúvida, afinal “CD” (com aspas ou sem??) é na verdade uma abreviatura, então, como colocar uma abreviatura no pural?
Os exemplos q vc colocou (CD, DVD, URL e MP3) são todos abreviaturas e não substantivos propriamente ditos. Acho que nem mesmo existe uma regra sobre isso!! Hehehe
Relamente meus professores indicam “CD´s” como a maneira certa de plurarizar, mas na verdade tenho certeza de quem nem mesmo eles sabem…

Um abraço,
Gabs

Responder

Comentário por Ana Freitas
18 de fevereiro de 2009 às 14h30

Gabs,
Seguinte: eu sempre uso (quando trabalho com jornalismo de tecnologia), bem como meus editores, MP3s, CDs, DVDs.
Mas o Wellington colocou com certa propriedade ali em cima um comentário dizendo que a forma “CD’s” está correta, pois diferencia o plural da palavra de uma sigla qualquer, tipo CDS, Colaboradores Doceis do Sistema. hehehe
Enfim. À tarde, vou checar o manual e os livros de gramática na redação. Se por lá não tiver nada, vou ver se consulto um professor de português. Mas prometo atualizar o post se a informação que eu coloquei estiver errada. :)

Bj,

Responder

Comentário por Márcio Guerra
18 de fevereiro de 2009 às 15h09

Caros amigos, lamento dizer mas nenhum tem razão. O plural de «CD» o «DVD» não tem nem apóstrofo nem «s».
Você vai comprar um «Compact Disc», ou você vai comprar dois «Compact Disc». Não vai comprar «Compact Discs»!
Isso é certo e seguro, tem um programa português, em Portugal, sobre a língua portuguesa, o «Cuidado com a Língua» e já lá foi mencionado esse caso.
Depois, ainda por cima, em relação às aspas, aindo ontem estive a ler um alguns artigos, um dos quais sobre as aspas, da Ilene Strizver, e é referido precisamente isso.
Ela tem um belo site, podem procurar no Google, que chegam lá num instante.
Eu tenho um blog sobre tipografia e poderei vir a mencionar isso futuramente. O blog é o http://typezine.wordpress.com

Abraço, virei ver o resto dos comentários.

Márcio Guerra

Responder

Comentário por Pasquale
9 de março de 2009 às 2h13

Ótima pauta para o Nossa Língua…

Comentário por Celena
7 de agosto de 2009 às 12h17

Ana,

acho que não existe uma regra (lei) sobre o assunto plural de Siglas. Mas, na minha lógica, colocar o -s não vai fazer confusões com outras, pois as siglas normalmente são escritas em maiúsculas e quem faz plural delas usa o -s em minúsculo, justamente para dar destaque neste plural.

Eu não sou usuária desta ideia. Prefiro não usar o plural em siglas, pois o determinante já faz isso e porque é uma sigla, que representa algo. Se ONG é organização não governamental – o seu plural vai estar na palavra organização, em uma frase, como: “as ONG ambientais” o contexto já me faz ler: organizações.

E tem mais, o elemento variável é o primeiro, organização, o que é diferente de CD – compact disc, na qual o substantivo, em inglês, está no final.

Como eu disse anteriormente, não há uma regra clara e o uso fica opcional, mas não dá pra aceitar a pluralização da Sigla com ‘s.

Responder

Comentário por Marília
18 de fevereiro de 2009 às 14h31

Muito legal o post. Uma excelente aula!
Obrigada.

Responder

Comentário por Ana Carolina
18 de fevereiro de 2009 às 14h34

Adorei seu post e o jeito como você escreve!! É bom saber que eu não sou a única que fica irritada com esse “excesso” de cultura… hehehe.
Não sou nada criativa, por isso deixo a ajuda pra o nome do blog com os outros comentários já feitos, mas, avise assim que o blog estiver pronto! Algo me diz que vou adorar lê-lo!
Beijocas

Responder

Comentário por Mario Costa
18 de fevereiro de 2009 às 14h40

Ah! Já vi que você não sabe o que é apóstrofo. Recebi um email que reproduzia a brilhante resposta de um aluno para a questão. Ela dizia assim:
“Apóstrofos eram os caras que andavam com Jesus Cristo e apareceram na jantinha que o Da Vinci pintou.”
Esse sim, sabe o que é apóstrofo!

Responder

Comentário por sidelano
18 de fevereiro de 2009 às 14h48

Muito legal este assunto. Outra coisa que deveriamos evitar “cortar totalmente” seria o uso de termos em ingles quando escrevemos em portugues. Afinal a nossa lingua esta se tornando totalmente alienigena com tantos termos de outra lingua inseridos. Sera que o portugues não tem termos que possam expressar todas as ideias? Daqui a pouco para se escrever portugues teremos que fazer um curso relampago de Ingles…!!!

Responder

Comentário por Louise Emille
15 de junho de 2009 às 3h09

duvido que tu escreva “píteça”…XD

Responder

Comentário por Sorín
4 de agosto de 2009 às 22h02

Duvido que tu saiba que pizza é uma palavra italiana.

Responder

Comentário por Louise Emille
5 de agosto de 2009 às 3h14

“com tantos termos de outra lingua inseridos”, ou seja, estrangeirismo. Então palavras italianas também entram na dança.

Caraca, só tem bitolado nesse blog, Ana! Abre um pouco a cabeça dos teus leitores, vai. :P

Comentário por Hugo Alessi
18 de fevereiro de 2009 às 14h50

Deixem o povo brincar com o português!Brincando é que se aprende. Dentro de uma hierarquia de prioridades o mais importante é a comunicação,preferencialmente de maneira correta. Tais ocorrências podem até ser condenáveis, contudo não devem ser vistas como um assassinato. Devemos antes de tudo evitar o assassinato da comunicação, e tenho visto muitos assassinatos no afã de se conseguir uma erudição, muitas vezes para evitar exatamente constrangimentos.
Hugo Alessi.

Responder

Comentário por Rodrigo Bevilácqua
18 de fevereiro de 2009 às 14h50

Só para postar que nunca mais li ou ouvi alguém usar o adjetivo BRABO, que soaria melhor para definir raiva, ferocidade e não BRAVO que soa mais para bravura, destemido etc. Ficaria muito melhor Cuidado Cão Brabo ou Feroz.
O uso de aspas na referida placa está fora de contexto certamente, mas chamar uma pessoa de idiota porque escreveu assim é um tanto exagerado, a pessoa que escreveu pode ser um Físico nuclear que não está tão preocupado se escreveu usando a norma culta ou não. E repare na expressão rock n’ roll ou rock ‘n’ roll qual está certa? e por que não rock and roll, já diziam que a língua é um ser vivo e ou acredito nisso ou passo o dia inteiro reclamando dos erros de linguagem meus e dos outros, por isso guardo o título de idiota a coisas mais relevantes, e quem não gostar eu lembro que o famoso dedo do meio é praticamente entendido entre todos os povos…

Responder

Comentário por Monique
18 de fevereiro de 2009 às 15h30

nossa gente que maximo esse post..
adorei…
eu tenho mta mania de escrever e dps pôr os pontinhos…rs
sei que ta errado…mas ja virou mania…

comentem sobre isso…
bjus

Responder

Comentário por anonimo
18 de fevereiro de 2009 às 16h40

Não é “cOringa” e sim: cUringa.

Responder

Comentário por Nessa
18 de fevereiro de 2009 às 16h44

Pensei assim:
CD’s = errado
CDS = outra sigla
CDs = certo.

Responder

Comentário por Oscar
18 de fevereiro de 2009 às 17h20

Olá!
Li sua matéria e achei ótima. Muito bem escrita.
Bem, eu faço Letras e pelo q eu já ouvi as siglas, quando vão para o plural não levam apóstrofo.
No caso de CDs e CDS o que diferenciaria uma da outra é o “tamanho” do s.
CDs = mais de um CD
CDS = Comissão Desnecessária dos Solavancos [por exemplo]

Achei um parágrafo sobre isso num site com citação de Luft:

“Por que levar as siglas para o plural? Olha, parece-me que os portugueses (os da Internet) não costumam fazê-lo. Não existe ninguém (não há um deus da gramática, Jorge) que possa dizer se eles estão certos ou errados; podemos apenas comparar duas hipóteses e optar pela que parece ser mais lógica e consistente. Eu, por exemplo, sigo a lição do meu grande mestre Celso Pedro Luft, que ensinava que as siglas, no momento em que são substantivos (mesmo criados artificialmente, são substantivos, exercendo todas as funções sintáticas reservadas a essa classe de palavras), passam a ter plural, que é assinalado, no Português, pelo acréscimo do ‘s’: ‘a convenção anual das APAEs’, ‘o valor estava expresso nas antigas ORTNs’; ‘as CPIs estão paralisando o governo’; ‘o local parecia ser o preferido pelos ETs’ ; e assim por diante (como, aliás, é feito com as abreviaturas, das quais as siglas são irmãs: drs., srs., etc.)”

Abraços! ^^

Responder

Comentário por Daniela
18 de fevereiro de 2009 às 17h30

Que bom saber que não sou a única que pensa assim!
A profusão de apóstrofOs (ou até mesmo apóstrofEs, como algumas pessoas dizem, que é algo completamente diferente, embora não saiba exatamente o quê) me deixa deprimida.
Só não sei se mais do que aspas indevidas. Acredita que durante anos a minha escola se denominou Escola Estadual de 1° e 2° Graus “25 de Julho”? Sabe por que? Porque diziam que, dãr, era uma data. Mas, OI, não é uma data literalmente falando, é o nome da instituição! Se fosse assim, então deveria ser: rua “7 de Setembro”, praça “15 de Novembro”, e assim por diante.
É, ver o nome da sua ESCOLA escrito errado é ainda mais deprimente. ¬¬

Responder

Comentário por André
18 de fevereiro de 2009 às 18h12

Ana, pensava o mesmo q vc sobre CDs e DVDs. Daí perguntei uma professora de português e ela não soube me responder. Pra mim, sempre tive q o correto seria sem o apóstrofo msm, mas estou à espera da confirmação da informação do Wellinton.

Responder

Comentário por Rodrigo Dall'Alba
18 de fevereiro de 2009 às 18h18

Parabéns pelo post.
Só uma coisinha: não são todas as palvaras em inglês que, para virarem plural, acrescenta-se o S, não é mesmo? Veja, por exemplo, child, person, que se tornam children e people.

Responder

Trackback por Casilhas
18 de fevereiro de 2009 às 18h33

Exagero no uso de sinais gráficos: http://tinyurl.com/ahs3qo

Trackback por casilhas
18 de fevereiro de 2009 às 18h33

Exagero no uso de sinais gráficos: http://tinyurl.com/ahs3qo

Comentário por lucas tadeu
18 de fevereiro de 2009 às 19h19

que tal este, “não te esqueça” dele’s

hahahahaha
este nosso portugues brasileiro
nunca me acostumarei com ele
quando acho que acostumei aparece ai umas regrinhas novas

Responder

Comentário por Oscar's
18 de fevereiro de 2009 às 21h11

Apostrofail ! =D
Apostrofoda
Apostrofome’s(nome de restaurante’s)
Blog da Ana’s

nuss, tem outro oscar postando… vo mudar meu nick pra não confundirem.

Responder

Comentário por alina
18 de fevereiro de 2009 às 22h39

qual a graça de você vir comentar e as pessoas já terem comentado tudo o que você ia falar? shashuashuahsua

enfim… enfatizando:
- é cUringa, e não cOringa. [se não me engano... cOringa, é só o do batman... mas nada de certeza]

- eu tive a MESMA idéia que o oscar’s aqui em cima… ‘apostrofail’
:(
meu comentário foi inútil.

Responder

Comentário por Oscar's
18 de fevereiro de 2009 às 23h47

@at alina
foi inutil nao, serviu pra confirmar q Apostrofail é o nome mais fail dos blogs
e ai ana, quando sai o blog?

Responder

Comentário por Ana Freitas
18 de fevereiro de 2009 às 23h48

Opa, ainda essa semana registro o domínio. :)

Responder

Comentário por Rui
19 de fevereiro de 2009 às 14h11

Ontem tentei deixar o meu comentário mas não foi possível. Entretanto já li um outro comentário, do Márcio Guerra, que tira a mesma conclusão que eu.
Na verdade CD, MP3, DVD e outros semelhantes são siglas, não abreviaturas.
Se eu escrever Compact Disc a forma abreviada, ou sigla, será CD, porque é apenas composta pela letra inicial da cada palavra. Mas se estiver falando no plural será Compact Discs e a sigla deverá, igualmente, ser CD, por ser constituída apenas pelas letras iniciais.
Então como distinguir? Existem 3 formas possíveis de o fazer de forma correcta:
1 – utilizando a norma, ou seja, através do artigo anterior ou do numeral determinante (O CD ou OS CD – UM CD ou DOIS CD);
2 – escrevendo as palavras por inteiro (Compact Discs ou Discos
Compactos);
3 – CDiscs ou DVDiscs, como também é utilizado em língua inglesa.

Uma forma mais inventiva, e fugindo à regra, bem ao gosto de brasileiros (e portugueses), mas que não é correcta será CDs que não se confunde com CDS. Nunca CD’s!! :-)

Mas reparem: 1 ficheiro MP3 ou dois ficheiros MP3. Quem não concorda e decide colocar um “s” no fim (MP3s) faz favor de me explicar como faz o plural de três… Vocês dizem: o meu número de telefone termina em dois 3, ou dizem: o meu número de telefone termina em dois 3s? Rsrsrs

Responder

Comentário por "bravo"
17 de dezembro de 2009 às 4h45

Oh, meu grande erudito… Um Real, “dois Real”, hahaha…
Não é sigla, claro!
Mas, se não pararmos com isso, teremos que levar uma “brochura de bolso” ou o Lusíadas para nos expressarmos gramaticalmente correto. E com certeza vai ficar horrível, pior que Esperanto!!!

Mas, bonito mesmo, e, já convencionado (não adianta brigar e discutir criando regrinhas e rebuscando velharias empoeiradas, misturando inglês e ao mesmo tempo falando mal dele), o certo mesmo é: CDs e DVDs, como também ONGs e etc…

Do contrário! OMG!!! ou OMGs!!!
O viciado estrangeirismo brasileiro não entende! Entendam de uma vez por todas, a língua ainda é viva e o Camões, vez por outra, revira na cova!

Responder

Comentário por Fã nº 1
19 de fevereiro de 2009 às 15h05

Para o plural de 3 faça como no plural de cafés.

Um Café, dois cafezes, três cafezes…

Um três, dois treizes, três treises e assim sucessivamente….até o infinito do treizes…

Responder

Comentário por Ana Freitas
19 de fevereiro de 2009 às 20h39

Esse comentário aqui me foi enviado por e-mail pela leitora Regina Manzano:

Tentei postar essa resposta e nao consegui.

plural de CD

Encontrei essa resposta

“Prezado Doutor: trabalho com vendas pela Internet e tenho uma dúvida.
Apesar de a palavra não ser do Português, gostaria de saber como se
escreve o plural de CD – é CD’s ou CDs? Com ou sem apóstrofe? A regra
para plural de línguas estrangeiras é igual? Quero dizer, existe alguma
regra especial para abreviar “compact discs”? Se não for muito incômodo,
agradeço seu retorno.”
Luciana Z Vaccaro

____________________

Minha cara Luciana: em Português, escrevemos CD, CDs, da mesma forma que
ET, ETs ou CPI, CPIs (dá uma olhada na minha página, em plural das siglas
; ali vais encontrar mais sobre o tema). Não se trata de plural de
vocábulo estrangeiro. A sigla CD (não interessa que corresponda a
“compact disc”) entrou no nosso idioma, da mesma maneira que, há quarenta
anos, entrou LP (para “long playing”). No momento em que entrou aqui,
passou a obedecer às leis internas do Português. Por isso, são
pronunciadas como qualquer vocábulo nosso (/cedê/ e /elepê/, e não
/cidi/ ou /elpi/), e vão flexionar-se normalmente: um CD e um LP, dois CDs
e dois LPs.

A propósito disso, estranho que o dicionário Houaiss (minha nova
paixão!), quando registra CD-ROM, informa apenas a pronúncia inglesa
(/cidirom/), quando deveria instruir a pronúncia /cederrom/, para evitar
aquele tinhoso /cederrum/, que dói no ouvido. Abraço. Prof. Moreno
P.S.: Devo informar-te que o nome do sinal gráfico é “apóstrofo” (em
Inglês, “apostrophe”). Em Português, “apóstrofe”, como escreveste,
significa ou um discurso inflamado, acusatório, ou uma figura literária
que consiste na interpelação de um ouvinte, real ou imaginário

Responder

Comentário por Rui
20 de fevereiro de 2009 às 0h58

Sem colocar em causa o prestígio da opinião acima, podem ser indicadas outras de sentido contrário e de igual prestígio.
É evidente que não é uma questão das siglas corresponderem a palavras estrangeiras assimiladas pelo nosso idioma (em boa verdade elas não correspondem, mas sim substituem).
A questão fundamental é saber se existe plural para as siglas, quer sejam de palavras portuguesas, quer sejam de palavras estrangeiras.
Não é por se terem popularizado (erradamente) os plurais de várias siglas que nos legitima a utilizar os mesmos ou a afiançarmos que estão certos.
Exatamente por apelo às leis internas do Português. Me desculpem mas um CD, dois CDs, não é uma flexão normal em português, nem segue as regras do português. Não basta acrescentar o S para se fazer um plural, a língua portuguesa não é assim tão simples como a inglesa. Podemos pensar em numerosos exemplos: raiz (raizes), fator (fatores), causal (causais) e plural (plurais).
Para seguir as regras do português o plural de CD deveria então ser CDês, ou a própria sigla não deveria existir, e escreveriamos cedê e cedês.
A aceitar os CDs, qualquer dia estaremos a aceitar as raizs, os fators, os causals e os plurals… Ah… afinal fazer plural em português é só acrescentar um S. ;)
E não se compare com a existência na língua portuguesa de abreviaturas (que não são siglas) em que apenas se acrescenta um S. Escrevemos Drs e Srs mas lemos Doutores e Senhores. A abreviatura é uma convenção que representa a palavra. Na sigla as palavras desaparecem substituídas pelas iniciais (ou será inicials? Rsrsrs).

Responder

Comentário por Daniel Costa
20 de fevereiro de 2009 às 21h07

O conteúdo original desse e-mail aí está no endereço: http://www.sualingua.com.br/06/06_cds.htm

Responder

Comentário por Ana Freitas
20 de fevereiro de 2009 às 21h14

Boa, Daniel. E legal saber que a fonte é confiável. Obrigada =)

Responder

Comentário por Mari
20 de fevereiro de 2009 às 14h45

Gente,
Eu já vi um cartaz numa parada de ônibus aqui em Brasília em que o Exército convocava “Jovens
do sexo” masculino a partir dos 18 anos. Assim mesmo, com essas aspas bizarras. Pena que eu não tinha uma câmera para registrar o mau uso dos pobres sinais gráficos.

Ah! No meu blog, fiz um post sobre o uso desnecessário do “não” (http://marianaceratti.blogspot.com/2009/01/no.html)

Abs,
Mari

Responder

Comentário por Jitsuei Tsuha
23 de junho de 2009 às 3h20

Seria interessante também alguém fazer um estudo sobre nomes de estabelecimentos escritos em outros idiomas ou utilizando o APÓSTROFO. Aqui em Aracaju, Sergipe, tem uma academia que se chama EVOLUTION CORPS, outra CORPUS SANO, um açougue ´D’U MERCADO, comida resfriada D’GELE, loja de roupas íntimas D’LANA, e uma lanchonete MEC DINHO (que tentou ser uma alusão ao MC DONALDS).
O nosso povo ou (1) é tão criativo que não se faz entender ou (2) é burro pacas.

Responder

Trackback por reycreation
7 de julho de 2009 às 14h10

achei elegante http://tinyurl.com/sinaisgraficos

Comentário por Adeirton Cavalcante
7 de julho de 2009 às 15h16

Sempre tive dúvidas sobre como colocar CD, DVD e MP3 no plural.
Mas já vi uma “regra” em que o plural de siglas é feito pela duplicação de cada letra que a compõe.
Por exemplo:
Policial Militar(PM) – O PM prendeu o ladrão. Os PPMM predenram o ladrão.
Bombeiro Militar(BM) – O BM apagou o fogo. Os BBMM apagaram o fogo.
Não sei se esta regra é aplicada somente nestes dois casos, mas sei que é exaustivamente utiliza no meio militar.

Responder

Comentário por "bravo"
17 de dezembro de 2009 às 5h29

Tipo gago!

OONNGG, CCPPII, SSEENNAACC, DDVVDD, RRFFFFSSAA…

Imaginei os parlamentares enfezados e na retórica discutindo, justo naquelas situações calorosas lá no plenário em Brasília; e, os repórteres jornalísticos e televisivos comentando e lendo notícias. Seria o festival da gagueira… hahaha… estilo Ruth Lemos – Sanduíche-iche-iche

Responder

Comentário por Rogério Santos
11 de julho de 2009 às 20h16

Aqui no bairro onde eu moro, há uma loja chamada K’Look. Eu rio toda vez que passo pela frente dela e fico me perguntando de onde o dono da loja tirou esse nome.

Responder

Comentário por Shirley
30 de julho de 2009 às 17h57

Estava procurando qual o uso correto das (“”) e me deparei com esse texto, explicação, argumentação…como posso definir??? Muito bom!Voltarei mais vezes.

Responder

Comentário por Sívori Sarti da Silva
13 de agosto de 2009 às 17h32

Mantendo a linha de sinais gráficos, alguém poderia informar quando se deve usar a barra “/” e quando se deve usar o traço “-”?
Esta dúvida me persegue desde que observo as placas de trânsito. Numa mesma rodovia aparecem pintadas, por exemplo, BR/116 e BR-116. Num primeiro momento não vejo problemas de identificação, mas não paro de coçar a testa por causa disso. Por que um e não o outro? E vice-versa?

Responder

Comentário por Rodrigo
27 de setembro de 2009 às 15h11

Discordo do Wellington, ele está totalmente equivocado. Uma coisa é uma outra sigla, que não tem como ser pluralizada (CDS – Comissão dos Desavivados Sociais), outra, muito diferente é CD (Compact Disc) que no plural vira CDs (uma vez que ninguém fala ou escreve Compact Discs). Ninguém compra um compact disc, compra um CD, da mesma forma, ninguém compra dois compact discs e sim dois CDs. A abreviatura que o Wellington aponta é toda escrita em maiúscula, não tendo a mínima possibilidade de ser confundida com CDs. Enfim, o Wellington levantou uma hipóteses absurdamente irreal e irrelevante. Vale a reflexão, mas nunca vi nenhum livro que incentivasse o uso do apóstrofo para pluralizar nenhum substantivo.

Responder

Comentário por felipe
19 de fevereiro de 2010 às 15h39

ficaria legal.
http://www.apostrofando.com

Responder

Comentário por JACOB' S AUTO POSTO
1 de março de 2010 às 20h57

Ola tdo bem,vou inaugurar um posto com o meu sobre nome ,vc acha que devo usar apostromo até porque é uma empresa familiar Jacob’s
Fico no aguardo.

Responder

Comentário por Andrey
11 de março de 2010 às 19h25

Colocando o “s” do plural em minúscula não tem como confundir com outra sigla (uma vez que se é silga, estará em letras MAIÚSCULAS) a não ser que vc escreva o plural de CD assim: CDS. Então acredito que o correto seria CDs mesmo.

Responder

Pingback por ABSORVA » Blog Archive » Aspas
15 de março de 2010 às 13h56

[...] http://oesquema.com.br/olhometro/2009/02/18/sinais-graficos-que-as-pessoas-nao-sabem-usar/ Aspas, Português, Português Correto, Sinais Gráficos Nome Email Website [...]

Comentário por JACOB,S AUTO POSTO
5 de abril de 2010 às 20h48

JACOB’S AUTO POSTO
AV DUQUE DE CAXIAS 18-70
BAURU SP
“BOM ATENDIMENTO É NOSSO COMPROMISSO”

Responder

Trackback por Eli Lopes
18 de maio de 2010 às 18h12

RT @ana_freitas: Sinais gráficos que as pessoas não sabem usar http://bit.ly/bKRZKW

Comentário por Rodrigo
21 de junho de 2010 às 2h52

O uso do Gerundismo é ridículo! E é o que não falta no text’em questão.

Responder

Trackback por marina_barral
15 de setembro de 2010 às 14h12

Apostrofos Desnecessarios: Repita comigo…Plural em inglês é igual a plural em português–você coloca o “s” e pronto http://alturl.com/386ci

Comentário por murilo
2 de dezembro de 2010 às 16h33

Falaram em duplicar as letras de uma sigla, quando ela se encontra no plural.
Lembrei-me de EEUU.
Quem nunca viu isto escrito?
Representa a sigla de Estados Unidos.
e então?
Como ficamos com essa outra regrinha??!!!

Essa nossa língua portuguesa…

Responder

Comentário por Elves d'Almeida
15 de dezembro de 2010 às 16h04

É verdade, o apóstrofo já teve anos de muita glória, mas atualmente não está sendo muito empregado. Fato que deixa-me triste, pois o apóstrofo é um sinal gráfico que dá um charme a mais na ortogrfia das palavras, além é claro, de ter a sua função no idioma, que é muito importnate. Eu sempre que posso escrevo com apóstrofo. uso-o mais nas palvras:P’RA; CO’A; D’AMOR; D’ESPERAR; D’ÁGUA, ETC.
Sugiro para o “blog” o nome de:Junto e misturado!!!

Responder

Comentário por Caio
13 de janeiro de 2011 às 11h01

Ainda tenho uma dúvida sobre aspas… alguém sabe o motivos dos nomes das escolas estarem entre aspas? Como por exemplo: E. E. “Prof. Fulano de Tal”

Responder

Trackback por Tarcio vsc
8 de fevereiro de 2011 às 17h40

ta ai normas de linguagem que tem dificuldades #ficaDica RT @ana_freitas: Sinais gráficos que as pessoas não sabem usar http://bit.ly/bKRZKW

Trackback por Ana Freitas
8 de fevereiro de 2011 às 18h58

"DICA": as pessoas não sabem usar "ASPAS" http://migre.me/3Q5Xp (do arco da velha esse texto)

Trackback por Mariana Oliveira
8 de fevereiro de 2011 às 19h03

isso me lembra o @joaocolombo "fotógrafo" RT @ana_freitas: "DICA": as pessoas não sabem usar "ASPAS" http://migre.me/3Q5Xp

Trackback por João Colombo
8 de fevereiro de 2011 às 19h03

RT @marianarrpp: isso me lembra o @joaocolombo "fotógrafo" RT @ana_freitas: "DICA": as pessoas não sabem usar "ASPAS" http://migre.me/3Q5Xp

Comentário por nicole
15 de março de 2011 às 21h26

voces tinham que por mais sinais

Responder

Trackback por Paulo Rodrigues
15 de abril de 2011 às 21h29

Interessante é pouco. Fantástico. // RT: @r_dann: texto interessante sobre "aspas duplas" http://bit.ly/i1DHOn

Comentário por rui l g filho
18 de abril de 2011 às 12h52

Muito bom! gostei da clareza e da linguagem do texto, mas acho q o título nao se adequou bem, pareceu um pequeno menosprezo para com os “ignorantes”!
que tal: ASPAS E APÓSTROFO EIS A QUESTÃO!

Responder

Comentário por Matheus Henrique
15 de maio de 2011 às 14h57

Haha. “Fodástico’s”. Bem humorado e explicativo. O blog já está nos “meu’s” favoritos.

Responder

Comentário por francisco
11 de julho de 2011 às 12h52

Você dá a idéia de que somente podemos usar as aspas nessas condições que apresentou. E quanto as aspas das citações. As falas dos personagens … Falta completar aí a tua idéia.

Responder

Comentário por francisco
11 de julho de 2011 às 12h54

Ah! não reparei bem mas tá dito lá
peço desculpas

Responder

Comentário por Aglet Vincentina Filha
27 de agosto de 2011 às 1h29

Então,
Temos uma Empresa com o nome de: Aglet Vest’s… ou seja, esta empresa tem como produtos comercializados, modinhas em geral, blusas, vestidos e acessorios.
Portando minha pergunta é, o apóstrofo neste caso acima descrito, pode ser aplicado,sim, ou não ?

Responder

Comentário por Ana Freitas
28 de agosto de 2011 às 18h45

Oi, Aglet. Nesse caso eu acho que não se aplica, não

Responder

Trackback por Sol
27 de setembro de 2011 às 12h53

Dá uma olhadinha nesse site:http://t.co/gRKJLylx

Trackback por Sol
27 de setembro de 2011 às 12h55

@_Deiner De uma espiadinha nesse endereço:http://t.co/gRKJLylx

Comentário por V.L
23 de janeiro de 2012 às 19h36

E se for D’agua, està certa?

Adorei a matèria!

Responder

Comentário por Guilherme Bastos
27 de janeiro de 2012 às 0h52

Olá! Gostaria de saber o seguinte:
Quando eu vou citar a frase de alguma pessoa, ao escrevê-la, tenho que colocar tanto as aspas quanto os parênteses indicando o nome do autor? Ou se eu colocar os parênteses indicando não preciso colocar as aspas?

Responder

Comentário por Guilherme Bastos
27 de janeiro de 2012 às 0h54

Responda a este post, por favor, para que eu seja noticiado por e-mail. Obrigado.

Responder

Comentário por robson
30 de maio de 2012 às 20h56

que tal “apóstrofo”

Responder

Comentário por Leonardo
14 de março de 2014 às 20h14

Uma coisa que reparo é o uso dos apóstrofos no lugar das aspas. A GLOBO.COM disseminou isto e agora todo mundo escreve assim:

Jovem ‘surfa’ em carro virado. Po, o correto seria “surfa”.

Responder

Deixe um comentário