OEsquema

A função de uma vendedora

Acho sacanagem que a gente saia por aí e tenha uma porção de regras de etiqueta pra atender e os vendedores de lojas, essas criaturas peculiares que ficam sorridentes, à espreita atrás das gôndolas esperando pela presa pelo cliente, não tenham que seguir nenhum estatuto. Me proponho, portanto, a formular uma série básica de leis para os vendedores de lojas:

1. Não falar com o cliente nada além de ‘Boa tarde, estou à disposição’ a não ser que seja requisitado;

2. Não oferecer nada ao cliente que não lhe foi pedido;

3. Em caso de dúvida sobre como proceder com determinado cliente, confira as regras 1 e 2.

Esses três mandamentos praticamente contemplam toda e qualquer situação constrangedora pela qual o consumidor passa com vendedores em loja. Inclui ser abordado de maneira passivamente-agressiva enquanto olha uma vitrine (O SENHOR GOSTARIA DE ESTAR ENTRANDO PRÁ TAR DANDO UMA OLHADA NESSAS PEÇA?), ter que calçar oito pares de tênis em cores e modelos semelhantes porém diferentes daquele que você pediu e receber aquela opinião sincera sobre a roupa que você está provando.

vendedor loja-15_640x428

“Ah, e não, eu não quero tá dando uma olhada em nada pra minha mãe, meu pai ou meu namorado. Não tenho namorado, sou um desastre com homens. E meus pais morreram quando eu tinha 8 anos.

Falando em sinceridade, tem uma perfumaria aqui em Santo André que aparentemente incentiva issso nas vendedoras. Ou a intimidação, não sei. É um lugar bem grande, que vende todo tipo de cosméticos. Vou lá mais ou menos uma vez a cada 45 dias, pra repor shampoo e condicionador, além de hidratante pro corpo e essas coisas de mulherzinha. Há um ano e meio que uso o mesmo shampoo, um pra cabelos lisos que tem me deixado muito feliz. Entrei, coloquei dois frascos na cestinha e fui interceptado por uma alegre PROMOTORA DE VENDAS:

COLABORADORA: Amiga, posso tár te oferecendo um shampoo melhor? Porque assim, não é que esse shampoo que você tá levando é ruim, mas ele não tem vitamina. Esse aqui ó, tá super em conta e tem vitaminas A, B e D, 30 nutrientes, protetor solar, reparador de pontas duplas e silicone.

EU: Oi? HEH. Não é por nada moça, MUITO OBRIGADA, mas a verdade é que eu não sinto que tô assim precisando de todas essas coisas, sabe?

COLABORADORA: Olha, não tá mesmo, porque seu cabelo é bom sabe? Mas assim, você que tem assim um corte fashion, descolado assim, moderno, precisa tár hidratando seu cabelo.

EU: Obrigada moça, mas hoje vou ficar com o de sempre.

Daí me desvencilhei do ATAQUE daquela que me julgava amiga dela, pois assim me chamou durante todo o diálogo, além de elogiar meu cabelo (senti uma inveja ok) e contornei outra gôndola atrás de um gel da Nivea. Procurei outra vendedora e antes que eu pudesse perguntar sobre o gel, ela bradou indignada:

COLABORADORA II: Olha amiga, esse shampoo na sua cesta não é pra você não, né?

EU (num mundo divertido): Claro que não! É PRA VOCÊ, GOSTARIA DE PRESENTEÁ-LA!

EU (no mundo real do que aconteceu de verdade): Humm… é…?

COLABORADORA II: Olha, desculpa mas a minha função como vendedora é tá te informando sobre isso, e esse shampoo vai acabar com o seu cabelo.

EU: Veja só, a moça ali já me falou tudo sobre…

COLABORADORA II: Não, vai estragar tudo o seu cabelo. Porque seu cabelo é bom, mas é oleoso na raiz e seco nas pontas né?

EU (assustada): Hum, mas moça, tenho usado esse shampoo por mais de um ano.

COLABORADORA II: Esse shampoo vai acabar com seu cabelo. Ele vai estar entupindo seus bulbos capilares a longo prazo, sabe? Olha, eu sou cabeleireira, então aqui meu dever é tá instruindo tá amiga? E vai entupir seus bulbo capilares e aí seu cabelo vai tá caindo. E quando você for no médico, ele vai dizer “por que não tratou antes”?

EU:

COLABORADORA II: O que você tem que levar é esse aqui, ó (e me mostra um tubo com 100ml a menos que o shampoo que eu tinha pegado, mas que custava 5 vezes mais). Esse aqui vai hidratar seu cabelo, olha aqui, é pra quem tem cabelo oleoso na raiz e seco nas pontas.

Agora eu te pergunto, leitor. O que você faria no meu lugar? Ignoraria o SEGUNDO alerta, já se imaginando tão careca quanto a Britney Spears quando raspou a cabeça? Você certamente não faria isso, leitor. Até porque, nesse ritmo quando até você chegar no caixa seria interpelado por pelo menos mais três dessas. E se você insistisse no shampoo de má qualidade, provavelmente a mulher no caixa não deixaria você levar.

britney
“Passei dois anos usando shampoo barato.

Como toda pessoa temente a promotoras de vendas obcecadas, levei o shampoo sugerido. Gastei um montão de dinheiro a mais. Se funciona? Sim, meu cabelo parece menos oleoso, ainda que não seja nada marcante, que vá mudar minha vida. Mas preferi não desafiar a gangue uniformizada das vendedoras agressivas.

42 Comentários
por: Ana Freitas postado em: Crônicas tags: , , , , , , ,

42 Comentários

Comentário por César
27 de outubro de 2009 às 4h53

EU RI aheuheuhe

você venceu, ana.

Responder

Comentário por Sandra
27 de outubro de 2009 às 5h14

Olha eu nessa mesma situação:

Opção 1) Mando a moça passear em outra frequesia, tchau e benção. “Não quero o produto/cartão porque não quero”. Grossa? Tô nem aí. Não deixo a dita falar mais do que duas palavras. E olhe lá.

Opção 2) Dou meia volta e saio da loja sem nem dizer meia palavra. Devo satisfação? Nem pensar. Passar bem.

PS: ODEEEEEEEEEIO vendedor(a) que pergunta meu nome e ODEEEEEEEEEIO vendedor(a) que dá pitaco.

Responder

Comentário por elizete teixeira
23 de outubro de 2012 às 1h58

Tudo tem os 2 lados da moeda, vendedora é pra tirar duvidas sim, quando solicitada, mais a função dela é oferecer os produtos também, não gostam desse ”sistema” faça uma revolução no PAIS, em muitos casos não é a profissão, temos que entender que nem sempre seremos clientes, só um dia seremos vendedoras também. Uma coisa eu digo não quer ajuda compra pela internet, pessoas que não tem dinheiro se irritam mesmo. não quer contato fique em casa, e chega de generalizar todas as vendedoras como um pé no saco.

Responder

Comentário por elizete teixeira
23 de outubro de 2012 às 2h06

Perai, que eu saiba não somos obrigadas a compra nada temos livre opção de livre escolha, TENHO CERTEZA que conhecimento a moça tem, concordo que nem todos shampoo são milagrosos, mais realmente vc tem que ver o que seu cabelo prescisa é uma escolha sua conhecimento nunca é demais, melhor vc aprender e comprar para fazer em casa do que vc pagar um absurdo no salão, seja educada, e formal, quer sinceridade e fidelidade, viva só com cachorro, se o sorriso sou falço, respeite e agradeça que ao menos ela essa vendedora esta conseguindo sorrir ainda pra vc antes de tudo ela é um ser humano, e não prescisa se preocupar não que ela não presisa do dinheiro de sua comissão para viver nã ou sustentar sua família.

Responder

Comentário por robson
27 de outubro de 2009 às 11h28

O bom do homem é isso. Eu tinha respondido com um ‘Não obrigado’ seco e uma cara fechada.
Não a promotora de vendas que aguente minha técnica de negação.

Responder

Comentário por Diogo
27 de outubro de 2009 às 11h36

“O bom do homem é isso”²

Esses vendedores pregos não perdem muito tempo com a gente. Aliás, homem que é homem compra xampú (com x e acento no ú) no mercado, aquele neutrox vagabundo e tá bom.

Responder

Comentário por fabio
2 de novembro de 2009 às 17h22

mudou a regra de acento de oxítonas terminadas em u? antes nao tinha…

Responder

Comentário por Diogo
3 de novembro de 2009 às 12h57

Macho que é macho não liga pra regras! Não toma banho e não usa cueca! Ugabuga!

Responder

Comentário por Lucas
27 de outubro de 2009 às 12h14

Homem que é homem não sabe o que é neutrox – como eu.

Sabe, existem vendedoras assim porque sempre tem quem se intimida. Se isso não funcionasse, ninguém fazia. É triste mas funciona aos montes.
Aliás, essa técnica tem 8x mais efetividade com mulheres mesmo. E multiplique por mais 8 (total de 64) se forem velhinhas.
Mais 8x se forem mulheres, velhinhas, com os netos e em lojas de coisas pra criança.

Minha técnica é boa, pra isso – constrange muito o vendedor e faz ele broxar brutalmente. “Mas moça, eu não tenho dinheiro pra levar isso não”. E ainda pode, num caso raro, resultar num descontasso. Que se você não vai usar, conta pra alguém que vai comprar e fala “mas ei, ele ganhou 40% nisso”.

Responder

Comentário por fabio
2 de novembro de 2009 às 17h22

hahahaha
tb nao sei…

Responder

Comentário por Diogo
3 de novembro de 2009 às 13h03

A respeito do neutrox:

Magal rules!

Responder

Comentário por Lucas
27 de outubro de 2009 às 12h16

Ah, já que você está às voltas com o erro do blog que não mostra seus posts, vou te contar mais um… não sei acontece só comigo.
A partir do momento em que eu comento, eu deixo de ver todos os comentários da página exceto o primeiro.

Responder

Comentário por Carlos Marin
27 de outubro de 2009 às 18h28

Isso acontece comigo também, mas é que se você olhar a barra de endereço depois de comentar aparece algo do tipo #comment-1234?page=1234 (tô chutando) no final. É só remover isso que voltam os demais.

@ana_freitas: acho que você teria que dar uma olhada no código-fonte pra resolver isso (possivelmente no formulário de envio de comentários). Já os posts que somem após serem postados eu já não sei dizer o porquê, mas pode ser algum erro durante a consulta no banco de dados.

Responder

Comentário por Dulce
27 de outubro de 2009 às 19h57

hahaha… morri de rir com o texto!

Eu não tenho a menor paciência com vendedoras desse tipo, e principalmente se me chamar de amiga ou pegar na minha mão/braço.

Bom, e provavelmente eu não teria aceito a dica. Diria: ok, obrigada, mas eu não quero.

Mas pelo menos o novo shampoo está funcionando.

Responder

Comentário por Pêra
28 de outubro de 2009 às 1h03

Medo dessas vendedoras!

Nunca passei por uma coisa dessas, só com aqueles ataques do tipo “Mas você não quer dar uma olhadinha nisso e naquilo? E que tal aquele lá?”

Infelizmente, nunca consigo ter uma posição firme ou meio mal educada com vendedoras insistentes e nem com aquelas que não me tratam bem. O que sempre me faz passar por situações constrangedoras, mas tudo bem.

Se eu fosse você compraria shampoo no mercado mesmo, é menos assustador.

Responder

Comentário por Felipe Barros
28 de outubro de 2009 às 1h24

como assim você usa o mesmo xampu há um ano e se rendeu ao ataque das vendedoras agressivas? O_o

Responder

Trackback por Marcelo
28 de outubro de 2009 às 10h11

A função de uma vendedora: http://u.nu/26np3

Comentário por Adriana
28 de outubro de 2009 às 11h16

Ri muito com esta crônica!
Muito bacana! A mais pura verdade!

Responder

Comentário por Nathalia
28 de outubro de 2009 às 12h22

Estou na sala de informática da faculdade, maior silêncio, e caio na gargalhada depois de “Claro que não! É PRA VOCÊ, GOSTARIA DE PRESENTEÁ-LA!”.
Belo início de quarta-feira!

Responder

Comentário por Nathalia
28 de outubro de 2009 às 12h23

Ah, me esqueci: Eu ponho o produto X na cestinha e deixo de lado quando chegar no caixa.

Responder

Comentário por Lili
28 de outubro de 2009 às 13h07

hahaha adorei! principalmente pela constatação de que, ao final de tudo, a técnica de abordagem funciona!!

Minha mãe é a maior vítima das promotoras, ela compra tudo e qquer coisa que as mocinhas estão oferecendo no supermercado, porque fica com ‘pena’ e por que as mocinhas são muito simpáticas. Fofíssima, não?

Responder

Comentário por Lannes
28 de outubro de 2009 às 13h53

Viva!! Voltamos a programacao normal.

Eu ri com o post…tava acompanhando todos pelo fb…

Aqui na terra do Tio Sam, quando vc vai no shops, tem a barraquinha de manicure, onde os caras lixam sua unha por 10 min e ela fica linda, e enquanto isso eles tentam vender o produto por $30…

dae imigrante burro que acabou de chegar vai (ja vi tanta au pair comprar aquilo) e compra, sem saber que na farmacia da esquina tem o msm kit por $5…

Responder

Comentário por Gustavo C.
28 de outubro de 2009 às 15h29

Não acredito que vc é uma pessoa temente a promotoras de venda. E que não quis desafiar a vendedora. E que levou o shampoo vencida pelo cansaço.

É divertidíssimo entrar na conversa de vendedores, mas contrariando tudo o que eles dizem, no mesmo tom obcecado. Pq vc sendo cliente, tá em posição de vantagem. Então em vez de se aborrecer, vc compra a briga apenas se mantendo na sua posição, calma e feliz.

Quando encontro um vendedor desses, eu respondo a tudo o que ele me fala, mas minhas respostas anulam todas as táticas dele. E se é insistente, eu sou tbm. “Não. Não quero. Não. Não quero. Não..” E saio da loja rindo.

Responder

Comentário por rose
28 de outubro de 2009 às 19h02

Eu também sou vendedora e não abordo nenhum cliente, espero ele me solicitar, mas quando vendedoras fazem isso comigo não hesito em ser grossa.

Responder

Comentário por rosa
8 de abril de 2013 às 2h05

eu deixo o cliente a vontade se ele precisar ele que me chame,nao gosto de ficar no pe do cliente

Responder

Comentário por Janaina
28 de outubro de 2009 às 19h09

Vendedora

Responder

Comentário por Romenique Zedeck
28 de outubro de 2009 às 19h27

Geralmente eu digo q não gosto de tal produto…

Ou que as vozes mandaram não comprar…sempre funciona

Responder

Comentário por Nathalia
29 de outubro de 2009 às 16h33

NOSSA. vou usar isso pra sempre. meu namorado diz que ‘a minha religião não permite’, mas ‘as vozes me mandaram não comprar’ é MUITO melhor.

Responder

Comentário por fabio
2 de novembro de 2009 às 17h26

hehehehe
muito boa dica.

Responder

Comentário por Isadora
28 de outubro de 2009 às 22h20

“O cliente está sempre certo.”
Em 99% dos casos, isso só funciona em teoria!

Responder

Comentário por Gisèle
29 de outubro de 2009 às 10h27

Nossa eu falaria

“sério, mas eu já tinha usado esse antes e ele estragou completamente o meu cabelo, ele não parava de cair e eu tive que fazer tratamento no dermatologista, super caro sabe, só com o remédio era 200 reais por semana por 1 ano, além do shampoo específico que foi uns 50 reais por mês. Ai quando parou o tratamento ele me recomendou esse shampoo aqui, então é recomendação médica sabe? O dermatologista me deu o maior esporro e disse preu nem chegar mais perto desse shampoo, que ficar acreditando em vendedora dá isso. E olha que o dermatologista é meu padrinho, então não seria ele quem estaria me enganando né???”

Responder

Comentário por fernanda
29 de outubro de 2009 às 12h07

verdade! Os vendedores acham que todos são consumistas e ficam empurrando um monte de coisas pra gente comprar! Dá vontade de falar: eu não preciso comprar 3 camisas só uma me atende perfeitamente! Mas daí digo:por enquanto vou levar só essa … rss coitados eles stão fazendo o trabalho deles né! RSS

Responder

Comentário por Iva
29 de outubro de 2009 às 12h19

Tem loja que a gente entra e gasta 5 minutos para se livrar da vendedora insistente, depois mais 5 para sair fora da promotora de algum produto específico e ainda mais 5 com aquelas pessoas que oferecem o cartão de crédito da própria loja… Aí pegamos o produto que queríamos e corremos para o caixa para não sermos mais incomodados. Não dá tempo de olhar mais nada sem alguém encher o saco.

Responder

Comentário por Milena
29 de outubro de 2009 às 12h33

Amo-te!! ahahahhaha!!!

Responder

Trackback por Liliam Garcia
29 de outubro de 2009 às 12h45

Foda http://bit.ly/1mnvMf

Comentário por Gabriel
29 de outubro de 2009 às 13h06

Parabéns, primeira página no Yahoo… show.

Responder

Comentário por Andreia
29 de outubro de 2009 às 13h36

“Ou que as vozes mandaram não comprar…sempre funciona”

Hahahaha! Depois de morrer de rir do blog, morri de rir com esse comentário!

Realmente deve funcionar!!!

Responder

Comentário por dedé
31 de outubro de 2009 às 21h04

Eu não levaria e pronto! Aliás, quando sou abordada por vendedores chatos assim, dou as costas e saio da loja. E a mania do gerúndio? Cruzes! Amiga? Ah! Você foi muito boazinha. Bem diferente da pessoa crítica (e divertida) que é aqui no olhometro.

Responder

Comentário por Mauro
4 de novembro de 2009 às 1h31

Nossa, eu não gosto de fazer comentários do estilo “está muito bom” e coisas do gênero, pois não acho construtivo, mas enfim, esse não dá! A parte do mundo divertido e do mundo real ficou TÃO, mas TÃO boa!! Que eu preciso fazer o comentário nem um pouco construtivo:

ANA! O TEXTO ESTÁ GE.NI.AL!!!

Responder

Trackback por Ana Freitas
27 de setembro de 2010 às 22h33

relembrando: eu, confrontando vendedoras de lojas de cosméticos um pouco agressivas http://bit.ly/a1p1jh

Comentário por henrique
27 de setembro de 2010 às 22h38

te desafio a passar na praça de alimentação do shopping ibirapuera no maldito SALEM, os caras atuam em bando pra você comer alguma coisa lá. puta saco.

Responder

Comentário por rosa
8 de abril de 2013 às 2h08

n o meu servico,estava aprendenndo ,e nnao podemos abordar o cliente ele tem que se sentir a vontade,se ele precisar ele nos chama

Responder

Deixe um comentário