OEsquema

Quando os bons se calam, os maus triunfam

553995_706008109414254_1265994153_n
Foto: AP

Tenho um bom amigo de anos que se chama Thiago Frias. Um cara genial, talentosíssimo, um grande artista e escritor, também. Desvie o olhar pras laterais do blog pra se deparar com um trabalho do Thiago: a arte no papel de fundo do Olhômetro é dele.

O Thiago foi preso em flagrante na manifestação ontem. Injustamente, claro. Está detido ainda sob as acusações de formação de quadrilha, depredação ao patrimônio público, resistência a prisão e dano qualificado, de acordo com informações de amigos.

O Thiago não fez nada disso, claro. A “quadrilha” dele são outras pessoas que ele nunca viu antes. Ele ficou atordoado com uma bomba lançada na direção dele, caiu no chão e aí os PMs vieram pra cima: pegaram-no pelo colarinho, jogaram-no dentro da viatura. O Thiago pode ter que enfrentar um processo de anos. Como o Thiago, outras 4 pessoas dentre as 19 que foram detidas ontem ainda estão presas, a maioria provavelmente inocente a julgar pelo histórico, e estão sendo usadas como bode expiatório para dar exemplo a quem se atreva a ir pra rua gritar contra o status quo.

Editado: nesse vídeo, a partir do minuto 1, dá pra ver o Thiago passando mal no chão e sendo ajudado por outras pessoas. Daí, chega a PM e o leva preso:

Aliás, é nisso que o Thiago acreditava quando continuou indo pra rua, ao contrário de todo mundo que desistiu no meio: ele acreditava no poder da voz dele pra impedir que coisas como essas continuassem acontecendo com as pessoas. Na periferia, um pobre preto é preso ou morto todo dia, né? Só é bom lembrar.

O Thiago é um preso político, só mais uma vítima injustificada dos interesses do capital e do poder. A prisão do Thiago prova que a qualquer momento eu, você, o Amarildo, podemos ser presos com uma tonelada de acusações, podemos apanhar, ser mortos, tudo em nome de uma guerra que é travada nas ruas entre nós e a PM, em nome da tonelada de dinheiro que um monte de gente sentada atrás de grandes mesas de mogno ganha. E eu vejo gente em comentários nos sites de notícias dizendo que as pessoas que sofrem abusos da PM mereciam: o mecanismo de manutenção do status quo é tão eficiente que ele explora e ainda garante que os próprios explorados o defendam.

Se você ainda não entende como a vida do Amarildo, do Thiago, do Piero Locatelli, da Giuliana Vallone, do Felipe Peçanha, do Nicolas Gomes, dos meninos mortos na Rocinha, são problemas nossos, eu te ajudo a lembrar daquela citação do Dante Aligheri que, digo mais uma vez, nunca foi tão atual:

“As regiões mais sombrias do inferno estão reservadas para aqueles que permanecem neutros em tempos de crise moral.”

Porque se manter neutro, em um momento desse, é ser co-responsável por todas essas coisas: a não-desmilitarização da PM, a não investigação rigorosa e a punição dos envolvidos no propinoduto tucano, a falta de qualidade absurda da educação e do atendimento médico, a prisões e mortes injustas que acontecem todos os dias, o tempo todo, no país inteiro.

Atualizado em 6 de agosto: pessoal, o Thiago foi solto na última sexta-feira. Obrigada a todo mundo que leu o texto e compartilhou. Ele ainda está sofrendo uma grande injustiça, porque está respondendo ao processo em liberdade e não foi inocentado das acusações falsas.

66 Comentários
por: Ana Freitas postado em: Destaque, Destaques tags: , , , ,

66 Comentários

Comentário por André
31 de julho de 2013 às 16h12

“O Thiago é um preso político, só mais uma vítima injustificada dos interesses do capital e do poder”

“tucanoduto”

“tonelada de dinheiro que um monte de gente sentada atrás de grandes mesas de mogno ganha.”

Sem mais. Já dá para perceber do que se trata.

Responder

Comentário por Thiago
31 de julho de 2013 às 17h15

Isso. Vai lá ler Reinaldo Azevedo.

Responder

Comentário por André
31 de julho de 2013 às 18h37

Farei isso enquanto você lê o Granma.

Responder

Comentário por Daniel
31 de julho de 2013 às 19h02

Melhor o Granma do que Reinaldo Azevedo

Comentário por Adib
31 de julho de 2013 às 22h45

Só tem essas duas opções? Só antolhos ideológicos explicam um comentário desse.

Comentário por Douglas Polo
1 de agosto de 2013 às 1h22

Não sabia que a mesa do Dirceu era de mogno… vivendo e aprendendo…

Responder

Comentário por Gisele
31 de julho de 2013 às 16h24

O Thiago não tem nada a ver com Piero Locatelli nem com os meninos da Rocinha. Não passa de mais um playboy-vítima.

Responder

Comentário por Ana Freitas
31 de julho de 2013 às 16h34

Por que esse tema me atinge de maneira pessoal, sinto vontade de apagar o que vc escreveu. Meus valores, no entanto, por vezes superam minhas vontades e eu jamais faria isso com uma opinião. É só sua opinião. No entanto, pra vc, fica o vídeo do Caetano. Você sabe qual.

Responder

Comentário por Guilherme
31 de julho de 2013 às 16h53

Sério que você pensa isso mesmo, Gisele? Que pena…

Responder

Comentário por Felippe
31 de julho de 2013 às 17h01

Ao ler esse comment tive um déjà vu.
Começou assim nas manifestações do mês passado, tdo mundo falando coisa do tipo.
Provavelmente pessoas igual a Gisele vão sair às ruas quando ficar cool novamente. Mais uma reacionária… – está é minha opinião -

Responder

Comentário por Ana Freitas
31 de julho de 2013 às 17h04

Pois é :/ Na verdade a Gisele comprou um dos mecanismos do governo pra deslegitimizar as manifestações – falar que elas são coisa de playboy. Como se pra lutar pelo que vc acredita (e que no caso é uma causa de muitos, não só a sua), vc precise comprovar renda. Como se fosse direito só de uns. Quer dizer então que vc incentiva o comportamento que faz os serviços públicos do país serem uma merda, que é basicamente pagar pelo particular qdo o público não supre em vez de lutar pra que o público faça o que tem que fazer? É tanta merda

Responder

Comentário por Delma
31 de julho de 2013 às 17h26

E cadê o Thiago? Ele está livre?

Responder

Comentário por Fabio Allves
31 de julho de 2013 às 17h37

Gisele, desculpe discordar de ti, mas quem é você pra dizer que o Thiago era um “playboy-vitima”! Você frequentou a casa dele? era amiga?

Não eu imagino, então fique com sua opinião pra si mesma.

Fabio
@fabioallves

Responder

Comentário por Alisson
31 de julho de 2013 às 18h03

A causa é de todos, é do preto, do branco, do pobre, do rico, é nacional. Por pessoas pensarem como vc é que o país vai de mau a pior…

Responder

Comentário por Debs
31 de julho de 2013 às 18h42

Então quer dizer que playboy ser preso político sem acusação alguma sobre ele pode? Quando é rico pode? estou confusa.

Porque esse argumento me parece muito similar ao de quem julga que o pivete da rua é ladrão só porque ele é pobre. É pegar a suposta classe social de alguém e utilizar como justificativa pra essa pessoa se foder de verde, amarelo, azul e branco. E isso também é preconceito. Além de uma burrice sem tamanho.

Comparar alguém em uma situação específica a outro alguém não é dizer que é igual ou invalidar. O argumento se constrói com base de que profissionais diferentes, de classes diferentes, de áreas diferentes, de opiniões diferentes estão se tornando presos políticos e sumindo ou sofrendo violência. Você não deve ser tão estúpido a ponto de não entender isso e querer invalidar a argumentação e transformar isso numa luta de classes.

porque liberdade não é a polícia parar de foder com pobre e começar a foder a classe média ou os ricos. liberdade é não pagar por nada que você não cometeu, não importa seu status social. não justifique violência com vingança e lutas de classe, por favor. o tema aqui não é esse.

Responder

Comentário por Sergio
1 de agosto de 2013 às 4h41

é o tipo de comentário vomitado por algum coitado qualquer incluso no mundo digital através de bolsas tecnologia.

Responder

Comentário por Ana Freitas
1 de agosto de 2013 às 14h37

Acho que você também não entendeu, Sergio. :/

Responder

Comentário por Rafael Sena
31 de julho de 2013 às 16h52

Fácil tachar o Thiago de playboy-vítima qdo não sabe do carater dele. Thiago já foi meu chefe e sempre foi um cara esforçado, lutador de causas e um gênio criativo. O que aconteceu com ele foi um absurdo sem tamanho e ele vai pagar por lutar pelos direitos de todos.

Idiota das pessoas que desmerecem cada manifestante que luta pra melhorar o país, independente do que essas pessoas são.

Responder

Comentário por Ana Freitas
31 de julho de 2013 às 17h01

ISSO.

Responder

Comentário por Ynti Alan
31 de julho de 2013 às 23h40

Bom, falou e disse.

Responder

Comentário por Marcus
31 de julho de 2013 às 17h10

Concordo com seu texto, mas pq apenas Tucanoduto? Parece meio partidário. O Tucanoduto deve existir mesmo, assim como o PTduto (que é bem largo). Basta ver o que aconteceu com o filho do Lula BRTelecom. Será que o Lulinha ficou milionário pq estudou na USP ou pq o pai dele era Presidente (ele na verdade é formado em Biologia pela UNIP e era monitor do Zôo)? / PS – não sou PSDB e menos ainda PT.

Responder

Comentário por athalyba
31 de julho de 2013 às 21h12

Lulinha milionário ??? Vc tirou essa informação do blog do Reinaldo Azevedo, com certeza: lá vc pode acusar as pessoas sem provas numa boa e é aplaudido.

Responder

Comentário por Lincoln
31 de julho de 2013 às 23h46

Realmente, 5,4 Milhões de reais pela Gamecorp não o tornou milionário.
Mas em que país vivemos mesmo?

Responder

Comentário por Douglas Polo
1 de agosto de 2013 às 1h29

Era, perdeu por incompetência. O aporte de 5Mi da Telemar (hoje Oi) foi noticiado por todos os meios sérios de jornalismo e não pelo RA. Detalhe, o BNDES é dono de parte da Telemar então houve claramente favorecimento. É difícil ser partidário e honesto ao mesmo tempo, mas é possível.

Responder

Comentário por Franz Brehme
1 de agosto de 2013 às 14h18

Vá ao Cartório de Imóveis de São Bernardo e veja quantos imóveis ele tem por lá. :P

Responder

Comentário por Gonzo
31 de julho de 2013 às 17h15

Sim, liberdade pro Thiago, ninguém MESMO merece ser preso pela Rota pq desmaiou. Isso é um absurdo e espero ver ele nas ruas logo.

Mas, pfv Ana, não confunde Dante com Dan Brown =)

Responder

Comentário por Ana Freitas
31 de julho de 2013 às 17h30

Que honra, Amauri! Obrigada pela força com o Thiago. Espero que ele saia dessa com o processo arquivado.

Sobre a frase, gosto mais do resumo do Dan Brown, mesmo. hahaha acho que a original, em italiano, soa bem legal: I luoghi più caldi dell’inferno sono riservati a coloro che in un periodo di crisi morale si mantengono neutrali.

Mas eu tinha visto que no livro ela não tá assim, DICHAVADA. hahaha. Lendo de novo, em resumo, no original (o do DANTE, não o do DAN) ele ouve uns gritos e virgílio diz pra ele que são os lamentos dos moralmente neutros… blá blá blá.

Responder

Comentário por Norberto
31 de julho de 2013 às 18h20

De citação em citação a galinha enche o papo. Ou alguma coisa parecida, como diria o chapolin…

vai outra bem apropriada para o momento:
“- Conhecimento é responsabilidade.”

Não se mantenham neutros nessa hora gurizada. A hora é agora, vamo que vamo. Ser neutro nesse momento é legitimar a pouca-vergonha. Ou dar atestado de ignorante.

Grande abraço. Paz a todos.

Responder

Comentário por Ana Freitas
31 de julho de 2013 às 18h26

Mais vale um pássaro na mão…

Comentário por Gonzo
31 de julho de 2013 às 18h32

O processo vai ser arquivado sim, a detenção é completamente ridícula e não faltam provas em relação a isso. A merda é ver algum amigo passar por um trauma desses e não poder fazer muito.

Responder

Comentário por Ana Freitas
31 de julho de 2013 às 18h38

sim :(
é terrível.

Comentário por Gonzo
31 de julho de 2013 às 18h42

Agora, sobre o Dante, eu acho bem estranho. Não lembro de nada sobre algo parecido com “neutralidade moral” no Inferno, muito menos em relação ao Nono Círculo, dedicado aos traidores. Aliás, essa frase cunhada pelo Brown eu nem sei se faz sentido ou se conecta com o toscano vulgar do texto original do Dante.

Na real, acho isso muito mais identificado com outros pensadores, como o “Tudo que é preciso para que o mal triunfe é que os homens de bem nada façam” do Edmund Burke ou o discurso de Martin Niemöller
https://en.wikipedia.org/wiki/First_they_came

Comentário por Paulo Rená
31 de julho de 2013 às 21h50

Nesse assunto das citações (e aproveitando para dar mais uma na cabeça dessas pessoas abaixo da média), lembro do John Donne, cujo pensamento me vem como um mantra da solidariedade a qualquer pessoa injustiçada:

Nenhum homem é uma ilha, inteira de si mesma; cada homem é um pedaço do continente, uma parte do principal; se um torrão é levado embora pelo mar, a Europa é diminuída, como se fosse um promontório, como se fosse a mansão dos teus amigos ou a tua própria; a morte de qualquer homem me diminui, porque eu estou envolvido na humanidade; e portanto nunca mande saber por quem o sino dobra; ele dobra por ti.” – John Donne, Meditaçoes IV

Responder

Comentário por Bia Pattoli
31 de julho de 2013 às 17h16

O fato de alguém ser playboy não torna uma prisão injusta mais aceitável do que uma prisão injusta pra um favelado. Prisão injusta é INJUSTA pra qualquer um, não importa a cor, raça, credo, orientação sexual ou classe econômica.

Responder

Comentário por
31 de julho de 2013 às 17h32

Hoje, a maior parte das pessoas resolveram ficar neutras, mesmo com o Brasil em chamas. O Thiago é mais uma vítima, mais um preso político. Eu não vou deixar de ir pra rua exigir melhoras, mesmo sabendo que posso ser um dos próximos presos. :(

Responder

Comentário por Zeca Bral
31 de julho de 2013 às 18h22

A partir de 0:50 você vê o Thiago Frias caído no chão sem possibilidade de se movimentar por ter aspirado muito gás quando é preso pelos policiais e agora é acusado de formação de quadrilha, crime grave e inafiançável!

Responder

Pingback por Solon Brochado | Vai ser isso aí, mesmo
31 de julho de 2013 às 18h39

[...] meio ao julgamento dos envolvidos no massacre do Carandiru e um dia depois que um conhecido foi preso durante uma manifestação pública, acusado de coisas como formação de quadrilha, dou de cara [...]

Comentário por Daniel
31 de julho de 2013 às 19h00

Polícia MILITAR, até quando?

Responder

Comentário por YCK
31 de julho de 2013 às 19h25

Na praça Roosevelt, antes da passeata sair, vi um caminhão dos bombeiros com um possível (estava sem óculos e as fotos não ficaram muito definidas) canhão d’água em seu topo. Homens fortes no ponto de ônibus esperando um ônibus que não vinha, pareciam policiais, mas descaracterizados.
Digamos que eu estava lá, segurando a faixa preta, na linha de frente, gritando “Ordem e Progresso, é coisa de fascista! Queremos liberdade, igualdade e justiça!”
E que ouvi barulho de depredação depois de passarmos por um banco (Bradesco), o que deve ser novidade, porque a estratégia da PM não foi proteger o banco com dois ou três carros e algumas motos, que tinham de sobra, mas ficar escoltando com motocas e camionetas o bloco de manifestantes, mas não paramos, continuamos andando.
Digamos também que, quando eu olhei para trás, não vi mais ninguém, tinham todos ido para a pista na contramão, que o as moças e moços da tropa de choque já se aproximavam e que minha colega que estava atrasada desceu na Consolação e já me avisava da corrente de carros e policiais que aguardavam na Paulista x Consolação. Esperaram o movimento subir para nos empurrar para a esquerda, para que não chegássemos à Paulista. Depois de uma bomba de efeito moral que deixa atordoados aqueles que estão próximos dela, corremos para a rua perpendicular à Rebouças, que já estava infestada de gás lacrimogêneo, mas era mais convidativa que a horda militar que nos seguia.
Aos gritos de ‘no chão, no chão!’ corri e gritei para que todos seguissem, ficar ali seria receber de graça violência estatal da melhor qualidade. Aí foi uma marcha ajudando feridos por balas de borracha e estilhaços, auxílio aos garotos e garotas que pareciam perdidos e tentativas de chegar na paulista sem ser revistado.
Chegando na Praça do Ciclista, desconfiei de uma formatura de policiais, pela quantidade absurda de homens uniformizados. Andei até o MASP, encontrei um pessoal, certifiquei-me da segurança dos meus conhecidos, encontrei outros de manifestações e fui pra casa, cansado mas com o sentimento de dever cumprido e que não fui pra manifestação pra fazer social, mas para lutar.
Ana, ninguém está fazendo nada, ainda. Uma hora o pessoal se organiza aí vira um negócio guerra civil style. Vou avisar ao vento, mas está aqui.

Responder

Comentário por Rodrigo Sanches
31 de julho de 2013 às 19h28

Ontem estava com os manifestantes que permaneceram do lado da 14 DP e Thiago permanecia preso, tem alguns advogados acompanhado o caso, mas precisamos de mobilização nas redes sociais. Tivemos acesso às acusações e elas são absurdas.

Responder

Comentário por Ana Freitas
31 de julho de 2013 às 19h49

Valeu, Rodrigo! Eu agora contatei os Advogados Ativistas e eles vão analisar o caso pra verem como podem ajudar. Mto obrigada pela força!

Responder

Comentário por bruno
31 de julho de 2013 às 19h55

reductio ad psdbistium e reductio ad pmum são só algumas das neo versões da lei de godwin.

Responder

Comentário por Ana Freitas
31 de julho de 2013 às 19h57

hahahahahahhaah

Responder

Comentário por Leiz
31 de julho de 2013 às 21h23

Muito triste a repressao que esta sofrendo nossos herois manifestantes de ruas, playboys ou nao, independente, mas que estao ali lutando por um sistema melhor PARA TODOS. Quem esta julgando, pra mim nao passa de gente bostejando, que nao sabe ser util, e critica quem tenta fazer algo pra melhorar nossa sociedade. Porque a policia nao prende com a mesma eficiencia quem saqueia as lojas nos protestos? porque a policia nao prende os condenados do mensalao? os Cachoeira, Renans, Alckimins Paes Cabrais todos esses larapios com a mesma violencia e arrogancia?? policia comprada, e por preço muito baixo.

Responder

Comentário por Paulo Rená
31 de julho de 2013 às 21h54

Vou fingir que você usou o temo “eficiência” de forma irônica e dar apenas uma dica: a questão problemática do abuso policial contra manifestantes, muito mais profunda do que a “compra” da polícia, tem a ver com gente que acha que prender pessoas de forma violenta e arbitrária é um tipo de eficiência.

Responder

Comentário por David
31 de julho de 2013 às 21h28

É estranho, as pessoas vão para quebrar o patrimônio público e o privado, e ainda tem gente que os defendem. A polícia é sempre a culpada por prender marginais travestidos de “bons” cidadãos?
Se querem protestar que façam de maneira civilizada. Se foram presos esses que foram pegos quebrando, depredando que fiquem na cadeia até acabar o processo.

Responder

Comentário por Ana Freitas
31 de julho de 2013 às 22h02

Manja um vídeo do Caetano Veloso?

Responder

Comentário por João
31 de julho de 2013 às 21h37

Crise moral de quem? Do PT?

Responder

Comentário por Bruno
31 de julho de 2013 às 21h57

Quem garante que ele realmente nao atirou pedras nas viaturas? O que vejo no Video é um rapaz no chão se fazendo de vitima e sendo retirado pelos policiais. Postem um Video de todo o acontecimento para que possamos tirar conclusões apropriadas e ai sim apoiar esta causa.

Responder

Comentário por Ana Freitas
31 de julho de 2013 às 22h00

Olha, amigo, no caso, quem garante sou eu. É por isso que fiz o post. Você tem direito de não acreditar. Daí pode continuar se enganando, de braços cruzados – afinal, é bem mais confortável mesmo.

Responder

Comentário por Guilherme
31 de julho de 2013 às 23h02

É ao acusador que cabe o ônus da prova, não ao acusado.

Responder

Pingback por Fuck the police (267) - ((( TRETA )))
31 de julho de 2013 às 21h58

[...] Thiago Frias é um dos brasileiros que mantiveram acesa a chama dos protestos que marcaram o mês de junho e seguiram organizando manifestações políticas sobre aqueles assuntos que complementavam a questão dos 20 centavos e ainda precisam ser enfrentados diariamente. Como qualquer um dos milhões que recentemente andaram bradando por seus direitos, Thiago estava lá, tomando umas porradas da polícia e tentando respirar sob a nuvem de pimenta quando foi gentilmente convidado a conhecer o xinlindró, onde permance até hoje, sem direito a fiança. O vídeo abaixo mostra como foi o momento da prisão: [...]

Comentário por Fabio Allves
31 de julho de 2013 às 22h04

http://www.cartacapital.com.br/tv/especiais/presos-sem-saber-por-que/

Carta capital acabou de soltar um video com três pessoas que foram presas por tentar ajudar o Thiago, acusadas de formação de quadrilha!

Absurdo…

Responder

Comentário por Leonardo Goldberg
31 de julho de 2013 às 22h24

Fala aí cara. Acompanhei um caso igual de alguns amigos. Se precisar de ajuda, fale. Isso é o JUDICIÁRIO em comunhão com A Polícia Militar (Lembremos, NENHUMA Polícia do mundo denominado ocidental é MILITARIZADA). Se precisar de algo me mande um e-mail. Abraços

Responder

Comentário por Ana Freitas
31 de julho de 2013 às 22h29

Obrigada pela força, Leonardo. Os advogados dos 5 que ainda estão presos estão entrando com um relaxamento de prisão, achamos que até amanhã eles saem. Escrevo se precisarmos, valeu!

Responder

Comentário por Fernando
5 de agosto de 2013 às 17h29

Real Polícia Montada do Canadá, Carabinieri da Itália, Guarda Nacional Republicana de Portugal, Gendarmeria Nacional Argentina, Carabineiros do Chile, Gendarmeria Nacional da França, Marechalato Real dos Países Baixos, Gendarmeria Suiça, Corpo da Gendarmeria do Estado da Cidade do Vaticano, entre outras, são instituições que se enquadram no mesmo conceito das Polícias Militares brasileiras. E, só pra constar, a Real Polícia Montada do Canadá é referência mundial em Polícia Comunitária. Então, acho que o problema não é o caráter militar, mas sim o governo ao qual a polícia está subordinada.

Responder

Comentário por Guilherme
31 de julho de 2013 às 23h01

A coisa chegou nesse ponto que a gente só aceita que a outra pessoa é um ser humano e só merece dignidade se ela concorda com a gente, ou se vota no mesmo partido, ou se lê os mesmos blogueiros?

Responder

Pingback por Fuck the police (267) | 3Clics
1 de agosto de 2013 às 5h40

[...] Thiago Frias é um dos brasileiros que mantiveram acesa a chama dos protestos que marcaram o mês de junho e seguiram organizando manifestações políticas sobre aqueles assuntos que complementavam a questão dos 20 centavos e ainda precisam ser enfrentados diariamente. Como qualquer um dos milhões que recentemente andaram bradando por seus direitos, Thiago estava lá, tomando umas porradas da polícia e tentando respirar sob a nuvem de pimenta quando foi gentilmente convidado a conhecer o xinlindró, onde permance até hoje, sem direito a fiança. O vídeo abaixo mostra como foi o momento da prisão: [...]

Comentário por Gracielle
1 de agosto de 2013 às 11h22

A (in)justiça mantém um protestante na prisão sem fiança e libera motorista bêbado que mata uma família após pagar fiança, libera assassinos por se apresentarem espontâneamente na delegacia, libera prisioneiros pra passar o natal com a família por terem “bom comportamento”… Temos que ir pra rua mesmo protestar contra esses e outros absurdos.

Responder

Comentário por Antonio Bonfá
1 de agosto de 2013 às 13h55

Muito bom texto, só pra lembrar aos reaças que desvirtuam o foco do assunto desqualificando o protagonista, como se menos legítimo fosse o fato de ser alguém esclarecido e com poder aquisitivo, que do alto de seus comentários mesquinhos passam longe de qualquer noção das mazelas do cárcere, da tortura, da agressão, da injustiça e de vários outros males oferecido diariamente pelo sistema. Nunca passaram e nunca passarão, pois sentado na frente da TV em algum condomínio fechado, a vida realmente tem outro sentido.

Responder

Comentário por Carlos T
1 de agosto de 2013 às 14h36

E ele tá preso ainda?

Responder

Comentário por Ana Freitas
1 de agosto de 2013 às 14h42

Tá sim, Carlos.

Responder

Comentário por André W.
1 de agosto de 2013 às 14h56

Parabéns pelo texto,
Antes de começar as maniestações acrediava que a polícia era justa e competene, principalmente quando a ROTA estourava a cabeça de alguém, porém como compartilhava da idéia de que o aumento da passagem era um abuso e afronta a sociedade, comecei a acompanhar os atos contra o aumento. Ingenuo, consegui ir ao terceiro ato, ainda achava que a polícia iria agir contra os manifestantes mais violentos, eis que me vejo em um grande aglomerado de mais de 8000 pessoas gritando palavras de ordem (nada mais), enquanto a polícia fechava todas as possíveis saídas, surge a choque e lançam bombas de gás e de efeito moral. Dá para imaginar o que aconteceu com a minha ideia utópica de uma polícia Justa.
Não serei ingenuo em dizer que só existe manifestante bonzinho, porque não tem, há excessos? sim, são justificaveis? não sei. Mas toda a ação da PM, que deveria ser exemplo de seriedade e de defesa da população segundo o proprio regimento, é de opressão afim de tirar a legitimidade de qualquer protesto, querem calar quem se revolta, a polícia está agindo como um cão raivoso, pega os quatro primeiros que ela vê e acusa de formação de quadrilha, desacato, perturbação da ordem entre outros crimes.

Assim como aconteceu com o Bruno no Rio está acontendo com o Thiago, e se a polícia continuar a “defener” a mando de poucos, no futuro existirão milhões de Thiagos, Brunos e Amarildos, faltará cela, advogado e túmulo.

Responder

Comentário por Thobias Lieven
1 de agosto de 2013 às 20h23

Amigos, aqui no ES foi a mesma coisa. Casagrande aprendeu com cabral. Vai, aqui, o relato de Rafael, meu amigo, o “Feijão”.

OBS: Fiquei besta com a caralhada de comentários absurdos, condenando o Thiago! Como pode. Entristece agente, mas também fortalece!

“RELATO DA EXPERIÊNCIA DO MEU IRMÃO FEIJÃO PASSADA NO PRESIDIO DE VIANA.

Bom dia galera! Aqui é FEIJÃO!

Primeiramente gostaria de agradecer a todos pelo carinho, energias positivas e solidariedades. Passei por momentos que esperava nunca passar, mas os propósitos da vida não são para ser questionados e sim entendidos.

Entendi que tinha que passar por esse momento, momento de sentir a dor de um detento que independentemente do crime cometido continua sendo um ser humano e JAMAIS deveria estar em um lugar como aquele que deixa traumas físicos e psicológicos marcantes e não ressocializa ninguém.É um lugar onde a dor se transforma em raiva cotidianamente, entendi assim a explicação de “escola do crime”.

Entendi que os agentes também querem uma sociedade melhor e que como varias outras pessoas são vitimas de uma sociedade que usa da violência para se manter o controle social. O poder é frequentemente utilizado de forma arbitraria onde a lei é eles que fazem onde “cada um é tratado como merece”.

É estranho. E o pior de tudo é você estar dentro daquele lugar, querer destruir aquele mundo e se sentir impotente por não poder nem sequer atender um grito de socorro. Meus pensamentos estavam perdidos, você não tem noção de hora, de data, passei o aniversário de 3 anos do meu filho lá dentro e não podia sequer dar um telefonema para ele. Minha força foi meus companheiros de cela que viraram meus irmãos, onde eramos força sempre um para o outro. Sabia que tinha a função ali de manter o equilíbrio entre a galera, tarefa difícil hooo e como era difícil, mas ao mesmo tempo teve muitos momentos prazerosos que seriam muito mais prazerosos se não fosse naquele local.

Entendi o que se passava na cabeça de Frei Tito, Geraldo Vandré, minha amiga argentina Ana Caracochi e até mesmo a presidente Dilma. Deixo claro, não passamos por “tortura físicas” a não ser a de estar naquele local sujo, cheio de bactérias etc. Mas as psicológicas eram demais, os gritos de dor eram constantes, as dores daquelas pessoas não saem de minha cabeça. É inadmissível o retorno de uma categoria de preso que foi “extinta” junto com o dito “fim da DITADURA”. Sempre ouvi que havia resquício de ditadura, mas não, o que estamos passando é a amostra de que a ditadura nunca acabou, sempre viveu disfarçadamente com a democracia e agora ela tira seu disfarce e ataca a população de forma covarde dentro de um aparato policial e uma mídia experiente nesse assunto que é a REDE GLOBO e POLICIA MILITAR!

Entendi que não podemos deixar que o que resta de democracia seja engolido por esse governo opressor, que esperávamos que fosse popular, que dialogasse com a população de seus anseios e suas necessidades um governo realmente de um ESTADO PRESENTE e não de POLICIA PRESENTE. Lá dentro eramos chamados de quebra quebra, aqui fora somos chamados de vândalos. Embora eu nunca ter quebrado nada, entendo que essa situação se da justamente pelo descaso do governo com o povo e o caso dele com grandes empresas e bancos. O vandalismo que o governo faz nas periferias, na educação e na saúde publica é inadmissível. Vidros, eletrônicos e móveis não valem mais que VIDA.

Hoje meu corpo está solto, mas minha cabeça não sai daquele lugar, tem hora que o choro vem do nada e fico pensando que ainda tem 3 amigos lá dentro, que a cela já não tem 15 pessoas para eles conversarem, que agora só estão em 2, a menina está sozinha sem ninguém para apoiá-la. Talvez ela nunca saia de lá, pois ainda aquele local existirá. Mas o que fizeram conosco, isso é inadmissível, COMPANHEIROS TEMOS QUE TIRAR NOSSOS AMIGOS DE LÁ O MAIS RÁPIDO POSSÍVEL, VAMOS ORGANIZAR A MAIOR MANIFESTAÇÃO QUE FIZEMOS ATÉ AGORA, POIS OS DIAS VÃO PASSANDO E QUANTO MENOS GENTE LÁ DENTRO É MAIS DIFÍCIL PARA QUEM FICA LÁ. CHEGA DE CORRUPÇÃO, CHEGA DE COVARDIA DA PM, CHEGA DE DITADURA!

NÃO VAMOS NOS DEIXAR INTIMIDAR POR ESSES ATOS COVARDES E VAMOS LUTAR POR JUSTIÇA! GOVERNO CASA GRANDE “QUEM NÃO PODE COM A FORMIGA, NÃO ASSANHA O FORMIGUEIRO! QUEM NÃO PODE COM A FORMIGA, NÃO ASSANHA O FORMIGUEIRO! QUEM NÃO PODE COM A FORMIGA, NÃO ASSANHA O FORMIGUEIRO!

AXÉ!”

Responder

Comentário por Jck Mídia I.
2 de agosto de 2013 às 7h30

Um “outro” angulo desta prisão

Responder

Deixe um comentário